Sobre o blog

“Viajar é mudar a roupa da alma”. Mário Quintana

Você ama viajar, tem vontade de explorar cada cantinho desse mundo e sonha em encher seu passaporte de carimbos. Você quer ir a um lugar incrível nas suas próximas férias, quer aprender sobre uma cultura diferente e quer colocar em prática suas aulas de inglês (ou francês, espanhol, alemão…). Acertei?

Se você chegou até aqui, tenho certeza que temos essa paixão em comum! Viajar é muito mais do que passar as férias em algum lugar longe de casa. É se conhecer melhor, é entender como o mundo é grande e como as pessoas são diferentes.

Mas talvez você se pergunte…

  • Vou conseguir viajar de forma independente e sem estar vinculado a uma agência de viagens?
  • Vou conseguir fazer todas as minhas reservas online?
  • O meu roteiro está organizado de forma inteligente e atenderá às minhas expectativas?

Essas e muitas outras perguntas passaram pela minha cabeça quando eu comecei a arriscar a ir para determinado lugar por conta própria. Descobri que é possível, sim, organizar um roteiro de forma independente e econômica. Aprendi que, buscando informações com pessoas e sites confiáveis, conseguia selecionar o que mais combinava comigo em uma viagem.

Se você está lendo este blog de viagens, você já deu o primeiro passo para ter as suas férias dos sonhos: está pesquisando. Afinal, viajar de forma independente requer planejamento, muita pesquisa e organização. Não há nenhuma fórmula mágica. Eu quero ajudar você a perceber que é possível, sim, embarcar com tudo prontinho e organizado pelo seu melhor agente de viagens: você mesmo!

Mas como surgiu a ideia do blog?

Acho que o estilo viajante já nasceu comigo e está no meu DNA. Minha mãe passou a vida toda mudando de um lado para o outro por causa do trabalho do meu avô. Daí ela conheceu o meu pai, que sempre trabalhou mudando de uma cidade para outra. Até que eu nasci em Porto Alegre e, com eles, morei em algumas cidades ao longo destes 26 anos de vida. Sempre que podiam, depois de muito trabalho durante o ano, meus pais tiravam férias e, felizmente, me carregavam junto com eles por aí.

O tempo foi passando até que eu entrei na faculdade de Direito e, juntando o dinheirinho curto do estágio, ajudei meus pais a pagar a minha primeira viagem internacional. Fiz um pequeno intercâmbio. Uma cadeira era cursada na minha faculdade e concluída em uma cidadezinha na Alemanha. Formamos um pequeno grupo de amigos e terminamos a viagem em Paris. Foi amor desde o primeiro embarque! Existia um mundo incrível lá fora, cheio de lugares e pessoas interessantes, esperando que eu fosse conhecê-los. Daí bateu um senso de urgência: será que eu vou conseguir conhecer tudo o que eu quero? Vou ter dinheiro e tempo pra tudo isso?

“Uma vez por ano, vá a algum lugar em que nunca esteve antes”. Dalai Lama

Já voltei da Alemanha planejando a próxima viagem. O “bichinho” de viajante já havia me picado. Não deu outra: um ano depois, estava embarcando para ficar quatro meses nos Estados Unidos no programa Work and Travel. Dessa vez, pude experienciar o que era estar sem minha família em um país com uma cultura e língua completamente diferentes da minha. Tive que cumprir horário de trabalho e juntar meus trocados para pagar o aluguel, comer e conhecer ao máximo a cidade. Esse intercâmbio foi decisivo: eu descobri que amava explorar lugares diferentes e Los Angeles se tornou a minha segunda casa.

Entendi, ali, que fazer um intercâmbio vai muito além de aprender uma língua diferente: você passa a se conhecer melhor, amadurece e dá valor à educação e aos ensinamentos que teve em casa, pois é lá que você vai colocá-los em prática. Entendi, no intercâmbio, a grandeza de compartilhar experiências com pessoas com culturas e pontos de vista diferentes do meu. O mundo é gigante e repleto de pessoas que enxergam ele diferente de mim. A tolerância é fundamental!

Depois de tanto voar as tranças, era hora de voltar pra casa e terminar minha faculdade, passar na prova da OAB, fazer TCC, estágio… Com o passar do tempo, consegui acumular mais alguns carimbos no passaporte. A chave para conseguir acumular experiências de viagem nesses “poucos” anos de vida foi sempre fazer uma otimização do meu orçamento e das minhas férias.

“Não guarde mágoas, guarde dinheiro para viajar”. Autor desconhecido

A ideia do blog surgiu a partir dessa paixão que é explorar o mundo. Sei que para acumular boas histórias de viagem não é necessário ter nascido em “berço de ouro” ou gastar rios de dinheiro com isso. É possível, sim, explorar o mundo com pouco. E eu quero mostrar isso para você!

Então vamos nos manter conectados?

Acredito que a pessoalidade torna a experiência muito mais engrandecedora para os dois lados. Então convido você a se inscrever na lista de email (aqui embaixo) e receber, gratuitamente, as atualizações do blog! Não se preocupe, não vou encher a sua caixa de spam. Eu também tenho pavor deles… Convido você também a me escrever para tirar suas dúvidas e contar a sua história. Quem sabe você tenha uma sugestão de roteiro que seja imperdível? Adoraria conhecer!

“O mundo é um livro e aquele que não viaja lê sempre a mesma página”. Santo Agostinho

Gostou do que está lendo?

Junte-se à nossa rede de viajantes e receba grátis as atualizações do blog!>